Home » Rivotrill » Rivotrill – a brand new sound?

Rivotrill – a brand new sound?

Categories

Rivotrill

bandarivotrill@hotmail.com bandarivotrill@gmail.com
any time

Instrumental Music

Image

 

Rivotrill – a brand new sound?

During a recent discussion with the band the subject of genre classification came up.  We thought and we thought about which category the band might fit into and how best to describe their sound…

Classical? Not really. Rock? Nope. Pop? Jazz? Funk? Afoxé? Blues? I could continue writing all the musical genres I know and I still wouldn’t have the right one to define what Rivotrill have created.  Few bands can claim to have conceived their own style, to be truly unique, but I think Rivitrill can safely lay claim to this.

So, I ask myself, how has this singular sound come about?  Forget the United States as being the greatest melting pot of cultures on the planet, Brazilians have roots from Africa, Germany, Portugal, Argentina, Italy, Japan…the list is endless.  There are many towns all across Brazil where Portuguese isn’t even spoken as the first language as people try to hold onto their cultural heritage, even many generations on from when their forefathers settled there.  This ethnic diversity has brought about many distinctive sounds with regard to music and music is a part of everyday life in Brazil.  But still, these distinctive sounds are just that: distinctive.  Be it Pagode, Forró, Axé, Bossa Nova, Choro or Brazilian Funk, they are all easily recognisable.

I asked Junior Crato, the bands flautist, whether there was a particular musical style, which brought the band together.  “Actually the influences of each musician in the band are very different,” he says.  “We almost have nothing in common when it comes to influences.”  For a band I would think this is highly unusual; one would normally expect to find a band who all share the same passion for a particular style and that’s what brings them together.  Junior “has more influences from classical music and 1970s rock, Lucas has in his playing the strong presence of Brazilian-African rhythms and Rafa is a musician with characteristics of Brazilian popular music”.  All these influences and differences have come together to create a positive result and one which does not fit into any model we currently have.

I wondered if this made the creative process difficult – a cacophony of different sounds and ideas, which might be difficult to organise – but Junior insists that this is not the case.  “We all came from different musical backgrounds, but it is not so difficult to organise the many ideas we have, the multitude of ideas only serve to stimulate.”  With so much to choose from, one song can develop into three or four complete songs and the result is that they have “a wealth of movements, in addition to creating a climate of expectation for the listener, because you can not predict the melodies.”  The band are “always coming and going from one place to another during the music”.

Does this bring us any closer to defining the sound of Rivotrill?  So far we have a little bit classical, a little bit rock, mixed in with Brazilian African rhythms and Musica Popular Brasileira.  But no, Rivotrill are truly in a league of their own.

Estelle Kealy Freitas

************************************************************************

Rivotrill – um novo estilo musical?

Durante uma recente discussão com a banda o tema de qual seria a classificação do  gênero musical surgiu. Nós pensamos e pensamos em qual categoria a banda Rivotrill pode se encaixar e qual a melhor forma de descrever o seu som …

Clássica? Na verdade não. Rock? Negativo. Pop? Jazz? Funk? Afoxé? Blues? Eu poderia continuar a escrever todos os gêneros musicais que eu conheço e eu ainda assim não teria o direito de definir o que a Rivotrill criou. Poucas bandas podem afirmar que concebeu o seu próprio estilo, por ser verdadeiramente original, mas acho que a Rivotrill pode seguramente reivindicar isso.

Então, eu me pergunto, como é que foi criado este som singular? Esqueça os Estados Unidos como o maior pote de fusão cultural do planeta, os brasileiros têem raízes da África, Alemanha, Portugal, Argentina, Itália, Japão … a lista é interminável. Há muitas cidades no Brasil onde o Português não é nem sequer falado como primeira língua ,que sao aquelas cidades onde as pessoas tentam manter o seu património cultural, até mesmo muitos anos depois de quando seus pais se estabeleceram ali. Esta diversidade étnica trouxe muitos sons distintos com relação à música e esta  música é uma parte da vida cotidiana no Brasil. Mas, ainda assim, estes sons característicos são apenas isso: distintivo. Seja Pagode, Forró, Axé, Bossa Nova, o Choro ou Funk brasileiro, todos eles são facilmente reconhecíveis.

Perguntei Júnior Crato, o flautista da Rivotrill, se havia um determinado estilo musical, que uniu a banda. “Na verdade as influencias de cada músico da banda são bem distintas”, diz ele. “não temos quase nada em comum quando o assunto é influencia, viemos de três departamentos bem diferentes no que diz respeito a música.”  Eu acho que isso é altamente incomum para uma banda, o que normalmente se espera encontrar em uma banda  é que  eles compartilhem a mema paixão por um estilo particular e é isso que os unem.Junior Crato tem mais influências de música clássica e do rock anos 1970, Lucas tem em seu jogo a forte presença de ritmos afro-brasileiros e Rafa é um músico com características da música popular brasileira. Todas essas influências e as diferenças se uniram para criar um resultado positivo e  que não se encaixa em qualquer modelo que temos atualmente.

Gostaria de saber se isso fez o processo criativo mais difícil – uma cacofonia de sons e idéias diferentes, que podem ser difíceis de organizar – mas Júnior insiste que este não é o caso. “Viemos todos de diferentes origens musicais, mas não é tão difícil de organizar as muitas idéias que temos, a multiplicidade de idéias só servem para estimular.” Com tanta coisa para escolher, uma canção pode desenvolver-se em três ou quatro músicas completas e o resultado é que eles têm uma riqueza de movimentos, além de criar um clima de expectativa para o ouvinte, porque você não pode prever as melodias.” A banda está “sempre indo e vindo de um lugar para outro durante a música “.

Será que isso nos traz mais perto de definir o som da Rivotrill? Até agora, temos um pouco de Erundito, um pouco de rock, misturado com ritmos afro-brasileiros, Musica Popular Brasileira. Mas não, Rivotrill é  na verdade em um estilo própria.

Estelle Kealy Freitas

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: